25.3.16

Artista Plástica Bárbara Kruger

Uma das vertentes da fotografia é a foto-montagem, muitas vezes complexa  porque não se trata apenas de mera montagens de recortes. Basicamente é a junção de duas ou mais imagens que geram outra imagem. Uma arte conceitual, que foi um instrumento fundamental para contestação política e social, usando na maioria das vezes imagens retiradas da publicidade. 
Bárbara Kruger também usa desse mecanismo, onde questiona uma sociedade patriarcal, o consumismo, a violência e discriminação. Fotografias com frases, que ao invés de vender um produto, vende uma idéia. 


Neste trabalho específico ela se apropria da fotografia publicitária e tipografia, imagem e  palavra.  


Artista Plástica Bárbara Kruger

O que eu considero fantástico no seu trabalho é que além de ter uma forma direta de expressão, são feministas, e não apenas do olhar masculino para o feminino, como muitos enxergam, mas do ponto feminino para o feminino. Ser feminista antes de mais nada é defender um gênero, que se divide em vários movimentos, que vão muito além de levar uma cantada na rua. Um dos movimentos é também a percepção de como a sociedade nos torna escravas de um ideal, um padrão, uma imagem. Existe uma homogeneidade de padrões, que hoje não se deve tolerar, muito menos alimentar e infelizmente isso ainda é reproduzido  também, por muitas mulheres.  





E se existe uma forma de transformar comportamentos, condicionamentos, sem dúvida uma delas é através da arte. O feminismo luta também por direitos civis iguais, a violência contra a mulher, questões sociais seríssimas que aprisionam e mutilam uma liberdade que chamais deveria ter sido bloqueada. Se você tem alguma dúvida se é ou não uma feminista, converse, leia sobre. Eu tive muitos pensamentos durante muito tempo, até me informar realmente sobre o que se trata, e me surpreendi. Optar em ser dona de casa não é uma ideia contrária ao feminismo, é sua escolha, tanto quanto ocupar um cargo como motorista de ônibus. Isso deve ser escolha sua e seus direitos civis devem ser respeitados com tal. Assim com ser vaidosa ou se desprender de qualquer vaidade, também é escolha sua. Seguir um único padrão é uma prisão que te impõe para consumir algo que te deprime, simplesmente porque esse padrão não existe. 



Se entendermos melhor seu significado, as frustrações por não casar, por não sentir-se bem após um dia de compra, vão desaparecendo, porque você passa a se olhar com liberdade. E se você se permite sentir e gostar seguindo a sua vontade, a vida fica mais leve, a cobrança diminui e a autoestima se eleva. 

Aqui um texto bem interessante que pode clarear seus pensamentos.
Feminismo pra quê?